Ateus, poetas & messias


Se ele não existe, qual o motivo da campanha?

Se Deus não existe, qual o motivo da campanha?

Não concordo com todas as idéias do colunista João Pereira Coutinho, da Folha, mas no texto abaixo ele desmoronou a turma do “provavelmente Deus não existe…”.

 

Ateus, poetas & messias

por João Pereira Coutinho, Folha

A estupidez humana não cessa de me espantar. Leio na imprensa do dia que uma associação “humanista” da Grã-Bretanha lançou em Londres uma campanha pública para defender a provável inexistência de Deus. A ideia foi escrever nos ônibus da cidade duas frases de arrasadora profundidade filosófica: “Deus provavelmente não existe. Por isso, deixa de te preocupar e aproveita a vida”.

A tese espanta, não apenas pela infantilidade que a define –mas pela natureza ilógica que a contamina. Se Deus não existe, haverá necessariamente motivos para celebrar?

Os mais radicais “philosophes” do século 18 concordariam que sim. O próprio projeto iluminista, na sua crítica à instituição religiosa como autoritária e obscurantista, defendia que a libertação dos Homens passava pela libertação do divino. Nem todos os “philosophes” eram ateus, é certo: Rousseau ou Diderot, impenitentes “deístas”, não são comparáveis a La Mettrie ou Helvétius. Mas o iluminismo continental abriria a primeira brecha na cultura ocidental, ao retirar a Fé do seu trono e ao coroar a deusa Razão.

Foi esse gesto primordial que tornaria possível as devastadoras críticas posteriores do trio maravilha (Feuerbach, Marx e Freud). Deus criou os Homens? Pelo contrário: Deus é uma criação dos Homens por razões várias e todas elas racionalmente explicáveis.

Os Homens criaram Deus por temerem a sua própria mortalidade (Feuerbach). Os Homens criaram Deus por contraposição às condições materiais das suas existências precárias (Marx). Os Homens criaram Deus por puro sentimento de culpa: parricidas arrependidos, eles buscam ainda uma autoridade perdida; Deus é o “fétiche” infantil de quem se recusa a viver uma vida adulta (Freud).

Infelizmente, aparece sempre alguém para estragar a festa. Falo de Doistóievski, claro, disposto a contrariar o otimismo liberal da burguesia russa oitocentista, para quem Deus era um empecilho de modernidade. Pela boca de Karamazov, Dostoiévski formularia a pergunta que Feuerbach, Marx, Freud e também Nietzsche se recusaram a enfrentar: e se a ausência de Deus significa também a ausência de qualquer limite ético para a acção humana?

Essa possibilidade seria confirmada no século seguinte: um século devastado por grandes construções coletivistas, utópicas e rigorosamente ateias que libertaram um fanatismo e uma crueldade indistinguíveis do fanatismo e da crueldade das antigas religiões tradicionais.

Quando os Homens não acreditam em Deus, eles não passam a acreditar em nada; eles acreditam, antes, em qualquer coisa, como dizia profeticamente Chesterton. Antes de festejarmos a provável inexistência do barbudo, convém saber o que essa coisa será.

22 comentários em “Ateus, poetas & messias

Adicione o seu

  1. “Poderia ter campanha contra o Papai Noel também!”

    Não há necessidade, pois crentes não enchem o saco dos seculares em nome de Papai Noel nem atentam contra as liberdades individuais, a ciência, a medicina ou o Estado laico em nome do bom velhinho. Mas em nome do contraditório deus teístas sim; portanto, é necessário que nós seculares confrontemos as noções religiosas equivocadas que dão “base” para posturas políticas e sociais equivocadas .

  2. Paz do Senhor,

    Hum……..penso que os ateus poderiam fazer um trabalho como fazemos em nossa cidade, que em tantas outras também é feito por cristãos, visitar doentes nos hospitais nas tardes de Domingo. Levamos a Palavra de Deus, consolo, “bálsamo” para as famílias e para os acamados, acometidos de doenças sem cura, outros sabendo que saíram dali, outros acidentados, enfim, pessoas que precisam de algo e, nós temos o que eles precisam e a eles levamos: Jesus.
    Não encontramos nenhum grupo de ateus fazendo trabalho semelhante. O que será que ofereceriam aos ocupantes dos leitos hospitalares ?? Será que o ateísto ajudaria e contribuiria para o bem social, pessoal e familiar como o Cristianismo?

    Abraço,

    JP
    http://www.joaopaulo-mendes.blogspot.com

  3. Valmir, não sei se o senhor acompanha o blog Papo de Teólogo, mas em um post, em determinado trecho, o René (dono do blog), cita uma fala de um historiador que chamou a atenção dele (René), e é esta a fala: “Existem muitos cientistas céticos quanto a veracidade da Bíblia; e eles não são céticos simplesmente porque procuram uma verdade científica. Eles são céticos porque se eles admitirem que a Bíblia é verdade, com todas as provas que temos, logo terão que admitir que Deus existe.”
    Interessante o comentário do historiador né?
    fonte: http://papodeteologo.gospelmais.com.br/moises-nao-existiu-mesmo/

    Notícia interessante:
    http://juliosevero.blogspot.com/2006/02/mais-de-500-cientistas-doutorados.html
    Sabe qual é o título da notícia? É este: “Mais de 500 Cientistas Doutorados Proclamam Suas Dúvidas Acerca da Teoria de Darwin”

    Abraço, Deus te abençoe.

  4. “It seems to me that the idea of a personal God is an anthropological concept which I cannot take seriously. I also cannot imagine some will or goal outside the human sphere. … Science has been charged with undermining morality, but the charge is unjust.

    A man’s ethical behaviour should be based effectually on sympathy, education, and social ties and needs; no religious basis is necessary. Man would indeed be in a poor way if he had to be restrained by fear of punishment and hope of reward after death.”

    Albert Einstein

  5. Gostaria de manifestar minha insatisfação com o artigo de João Pereira Coutinho da Folha pensata de 26 de janeiro de 2009. Sou ateu (e nunca fui comunista!) e embora não tenha ficado exatamente ofendido, fiquei preocupado com o que foi dito neste texto, no mínimo desinformado de Coutinho, pois ele só reforça os graves estereótipos e preconceitos que infelizmente existem sobre ateus de que por não crermos em Deus somos todos canalhas sem valores e sem moral.

    Primeiro o autor recorre à falácia da divisão (tomar a parte pelo todo) ao acusar o ateísmo pelos absurdos cometidas em nome do comunismo. É preciso esclarecer que embora o marxismo e as correntes filosóficas que dele derivam sejam filosofias ateias, há inúmeras filosofias ateias (por exemplo, humanismo secular, existencialismo, objetivismo) que não têm nada a ver com o comunismo e não tenho notícias de pessoas terem sido mortas por proponentes delas.

    Coutinho ainda cai em contradição ao escrever no antepenúltimo parágrafo que a ausência de Deus implica na falta de limite ético para a ação humana e logo em seguida, no penúltimo parágrafo, acusar ideologias ateias de cometer crueldades indistinguíveis das de antigas religiões. Ou seja, se o ateísmo supostamente cometeu crueldades indistinguíveis das cometidas pela religião, então a crença em Deus não fez nenhuma diferença, não é mesmo? O problema então não está em quê as pessoas acreditam ou não acreditam, mas na intolerância contra aqueles que pensam diferente.

    Quanto à questão que Coutinho levanta sobre se sem Deus tudo é permitido, esta questão decorre de uma compreensão muito equivocada dos fundamentos da ética. O falecido escritor britânico Arthur C. Clarke escreveu que “talvez a maior tragédia da história humana tenha sido o sequestro da moralidade pela religião”. Eu diria que o momento exato em que esse sequestro ocorreu foi quando, segundo a Bíblia, Abraão aceitou matar o seu próprio filho Isaac porque Deus o mandou fazê-lo (Gênesis, 22:1-12)

    Coutinho e Abraão acreditam que as normas morais que devem orientar a conduta das pessoas são ditadas por Deus. Se Deus manda você degolar o seu próprio filho, então a coisa correta a fazer é degolar o seu filho. Não são só Coutinho e Abraão que pensam assim. Osama Bin Laden concorda com eles. E também todas as pessoas que já mataram ou torturaram ou estupraram em nome de Deus. Todos eles acreditaram que estava agindo certo porque obedeciam à vontade do senhor.

    Bom, deixe eu me desculpar com o Sr. Coutinho agora. Eu estava sendo só sarcástico, na verdade eu sei que ele não pensa assim. Eu sei que ele não é Osama Bin Laden, eu sei que ele não mataria em nome da fé e eu sei que ele teria mais caráter, hombridade e firmeza moral do que o famigerado Abraão, o homem que vendeu sua alma a Deus (ou seria ao diaboo?). Se por acaso o suposto Criador aparecesse diante dele e o ordenasse que assassinasse o seu filho ele mandaria Deus ir catar coquinho. E sabe por que? Porque apesar de Coutinho não ter se dado conta enquanto escrevia o seu artigo, ele segue um sistema moral muito mais complexo do que simplesmente obedecer à vontade de Deus, o suposto parâmetro de referência moral de que os ateus não dispõem.

    A moral de Coutinho, dos ateus e da maior parte do mundo Ocidental hoje se baseia nos princípios do humanismo, uma filosofia secular que enxerga o próprio ser humano como um ser sagrado, merecedor de dignidade e valor por si só. Por isso, se a manchete da capa da Folha de São Paulo de amanhã fosse “Cientistas provam que Deus não existe”, nem por isso deveríamos esperar que pessoas que até ontem se consideravam boas e tementes a Deus começassem a sair pela rua matando e roubando e estuprando. Citando mais uma vez Arthur C. Clarke: “Com ou sem religião, você teria pessoas boas fazendo coisas boas e pessoas más fazendo coisas más. Mas para pessoas boas fazerem coisas más, bom, para isso você precisa de religião.”

    Abraços,

    Gabriel de Castro Fonseca

  6. Diego,

    Não sei se você sabe, mas aquilo que você chama de direito à liberdade foi erigida graças ao pensamento cristão.

    Percebo, portanto, que você quer destruir a cosmovisão cristã, mas manter os seus benefícios…??!!!

  7. Hermann,

    Por que ao invés de citar Einsten (com a idéia Spinoziana de Deus) você não citou Galileu Galileu ou Newton?

    Mas, em relação a Einsten. Como explicar a base moral do homem, sem a existência de um legislador. De onde tiramos o que é certo ou errado?

  8. Gabriel,

    A sua indignação em relação ao artigo de Coutinho em parte é legítima. Generalizar é um grave erro ao se analisar qualquer tipo de assunto. Mas veja bem. Não é dessa forma que a maioria dos ateus atacam o cristãos, generalizando? Costuma-se ouvir que “os cristãos são todos imbecis e ignorantes” ou “todos pastores sãos pilantras”? Além, é claro, de dizer que foi a religião (qualquer tipo) responsável pela morte de milhares de pessoas. Mas qual religião? Em qual época?

    Veja que você mesmo comete tal erro ao citar Arthur Clarke, onde ele afirma que “talvez a maior tragédia da história humana tenha sido o sequestro da moralidade pela religião”. Pelo que se vê, você não gosta de ser criticado de forma genérica, mas, pelo contrário, utiliza essa tática ao defender suas idéias. Existe uma erro lógico aqui.

    Proponho que depois que você descubra tal erro, voltemos à discussão.

    Bom, mas antes de terminar, permita-se enfocar outro assunto em que você baseia sua cosmovisão: o humanismo. Você diz que “A moral de Coutinho, dos ateus e da maior parte do mundo Ocidental hoje se baseia nos princípios do humanismo, uma filosofia secular que enxerga o próprio ser humano como um ser sagrado, merecedor de dignidade e valor por si só”.

    Mas, Gabriel, de onde se originou o humanismo, com a sua idéia da dignidade da pessoa humana? De onde ela próvem?

    Responda e depois retornamos…

    Abraço.

  9. A MAIORIA DOS ATEUS PARECEM QUE MUITAS VEZES SE COMPORTAM COMO IRRACIONAIS, POR QUE SE ALGO NÃO EXISTE NÃO SERIA RACIONAL EU TENTAR PROVAR QUE ELE NÃO EXISTE. LOGO QUANDO OS ATEUS TENTAM PROVAR QUE DEUS NÃO EXISTE, ELES SEM QUEREREM ESTÃO PROVANDO A EXISTÊNCIA DE DEUS
    QUERO DIZER QUE A MAIOR PROVA DA EXISTÊNCIA DE DEUS É O HOMEM…

  10. Fugiram do ponto principal. A idéia da mensagem no ônibus não foi nada mais que uma réplica a outras mensagens de cunho religioso, muitos condenando ateístas a danação eterna. Liberdade de expressão, pura e simples.

  11. A Paz do Senhor, irmão Valmir

    Nenhuma liberdade pode ser mais prisioneira do que essa: o pensamento.
    É bem verdade que a propaganda em tese é profunda na essência, porém pobre em causa – efeito.
    1. PROBABLY? Essa ideia de possibilidade deixou o pensamento arranhado
    2. As ideias de Marx e Freud são fortes em sim mesmas: Deus não existe! Infelizmente, em nome de uma ideologia, nenhum deles conseguiram encontrar o rumo de sua própria existência, logo se não se encontraram em si, fadaram-se em si mesmo, portanto não há Deus.
    3. Como aproveitar a vida sem a Vida?
    A Europa é o berço das grandes transofrmações culturais, assim como é uma escama diante dos próprios olhos.
    Que Deus possa mudar o quadro.
    Excelente artigo!
    Em Cristo,
    Irmão André Silva – PE

  12. A ausência de Deus não tem absolutamente nada a ver com a ausência de limite ético. Quem pensa assim, está claro, nada entende de ética ou de ateísmo.

  13. Caro Valmir,

    É engraçado que embora a resposta do dia 30/01/2009 às 6:29 pm seja minha, não fui eu quem a postou aqui, mas alguém usando meu nome sem autorização. Eu publiquei esta resposta em meu próprio blog, alguém deve tê-la colado aqui. Só descobri isso agora, completamente por acaso, mas para aproveitar a viagem, deixe-me responder aos seus comentários do dia 01/02/2009 às 12:05 am (já faz quase dois meses!)

    É bem verdade que muitos ateus criticam os cristãos com generalizações preconceituosas e também é verdade que também ocorre o inverso. É triste, mas as pessoas, independente de suas crenças ou descrenças, podem ser tomadas por uma grande cegueira moral e intelectual quando têm suas convicções desafiadas por gente que pensa diferente.

    Quanto à frase de Arthur Clarke (que na verdade não é dele, mas de Steven Weinberg, eu citei errado), eu acho que você a interpretou diferente de como eu a interpreto. Entendo que o “sequestro” da moralidade pela religião é uma tragédia porque em nome de Deus qualquer absurdo se torna aceitável, os crimes cometidos em nome da fé ao longo da história não deixam dúvida disso. Mas não é uma generalização, em nenhum momento eu afirmo que os teístas todos fazem o mal em nome de Deus – na verdade eu digo justamente o contrário, digo que ateus e cristãos têm a mesma moral, o que nos leva a seu próximo comentário:

    “Mas, Gabriel, de onde se originou o humanismo, com a sua idéia da dignidade da pessoa humana? De onde ela próvem?

    Responda e depois retornamos…”

    Bom, o humanismo moderno surgiu durante o iluminismo, foi pensado por grandes filósofos seculares, mas não se pode negar que ele deve muito ao Cristianismo. Não me envergonho nem um pouco de dizer que o mundo Ocidental deve muito do que tem de bom e civilizado à herança cristã.

    Abraço,

    Gabriel

  14. srs.lamentavelmente dentro desse projeto estranho de Deus ele mesmo se insinua e faz questão de ser visto como uma grande controvérsia
    para os que vieram para o engano muitas vezes ficamos preocupados com essas coisas tentando provar para o mundo da perdição que Deus existe e esta presente mas nos esqueçemos que não podem crer pois a maioria dessas pessoas pertencem as etnias do engano por exemplo Isaias 28:9 genesis 21:8— lucas 16:19 como alguem esta no lugar de tormento chamando abraão de pai? a verdade é que devemos muito a esse povo deveriamos unificar o ensino biblico e não mais tornalo como uma tore de babel pois se seguirmos as etnias passaremos a dar galardão ajudas e comparar as mentes de maquiavel com a mente priviligiada de um deus romanos 9:1— Isaias 45:1— sylviamarina 17 @hotmail.com no aguardo!

  15. a obra estranha de Deus nela cristo é a sua controvérsia certamente o povo não aguenta mais esse assédio religioso provocado por (lideres) com sindrome de balaão não se engane essa manifestação é indiretamente uma forma de provocar a verdade sobre Deus quem pensar estar fazendo sua própria vontade que se engane e viva enganado até que se esclareça a verdade pessoal nós não devemos tomar o lugar de sentinelas pois se ele não guardar a cidade já sabem o que acontece não existe um unico milimetro fora de seu controle ele diz aquietai e sabei que sou Deus serei exaltado entre as nações serei exaltado sobre a terra.

  16. prezados esse ditado é verdadeiro (ateu graças a Deus) pois é o próprio quem envia a operação do engano para os que são da carne devemos crescer na graça e no verdadeiro conhecimento de Deus Isaias 45:1– romanos 9:1– Deus criou vasos de honra e dessonra filhos para a luz e filhos para as trevas mas reparem que isso tudo é por causa da sua obra estranha ou inaudita estamos muito perto de mas uma grande reforma
    Deus vai balançar a figueira permita que Deus te coloque num alto retiro conheça o atravéz de sua palavra salmo 91 e polo-ei num alto retiro porque conheceu o meu nome investigue as etnias biblicamente voce vai se surpreender e se maravilhar chegou a hora de Deus acionar o seu D>N>A que esta em voce e começar a operar maravilhas por teu intermédio amém!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: