Olimpiadas: Verdadeiros vencedores


Por: Valmir Nascimento

Seul, Olimpíadas de 1988. Prova final de atletismo dos 100 metros rasos, uma das competições mais aguardadas dos jogos. Entre os finalistas, dois prevalecem. O americano Frederick Carlton Lewis ou simplesmente Carl Lewis, como era conhecido, e o canadense Ben Johnson. É dada a largada e, com pouco menos de dez segundos a corrida termina com Johnson em primeiro e Lewis em segundo. No entanto, a prova não se encerra aí; dias depois sai o resultado do exame anti-dopping e o canadense é pego. Assim, a medalha de ouro passa para as mãos de Carl Lewis, o verdadeiro vencedor.

A corrida da vida

O fato ocorrido nos jogos olímpicos de Seul representa categoricamente aquilo que ocorre em outra corrida: A corrida da vida. Porém, essa carreira, diferentemente, não é medida pela velocidade,mas pela distância que percorremos. O que importa não é a agilidade e sim a maneira como procedemos o caminhar. Ao contrário da história relatada, cuja pista era sem barreiras, na corrida da vida existem não poucos obstáculos pelo caminho. Barreiras essas que às vezes nos levam ao chão como o desaparecimento de um filho, o câncer que assola um pai, a morte de um ente ou a traição de um cônjuge. Muitos ao cair, levantam-se e prosseguem na caminhada, outros, porém, permanecem ali mesmo.

Na corrida da vida todos querem ser vencedores: o primeiro da turma da escola, o melhor no trabalho, o rapaz rico e o craque do esporte são apenas alguns dos exemplos. Assim, para obterem tais “títulos”, alguns trapaceiam. Utilizam-se desde a simples “cola” no colégio até o furto no trabalho, desde passarem “por cima” do companheiro de serviço até a fraude no esporte. Subterfúgios esses utilizados com o fim exclusivo de chegarem ao primeiro lugar e então serem considerados como os vencedores. Declarados como “primeiro lugar”.

No geral as pessoas querem vencer. Pretendem obter sucesso e demonstrar isso para a suas famílias; seus amigos e para a sociedade em geral. Ninguém deseja ser um perdedor, ou o “desajeitado” da turma. Por essas e outras que cursos e palestras do tipo “Alcance o sucesso” estão aí sendo ministradas aos montes e lotando os auditórios. Nesses eventos são ensinadas técnicas de auto-ajuda, auto-estima e dicas de como a pessoa deve fazer para se dar bem na vida.

Equívocos

Biblicamente, tanto um quanto outro estão completamente equivocados; ou melhor, tanto a trapaça quanto as técnicas de auto-ajuda não fazem do indivíduo um verdadeiro vencedor na corrida da vida. Não é a fraude, tampouco as receitas do sucesso, ingredientes para a plena vitória. Por que? Vejamos.

A resposta está, primeiramente, na forma como encaramos a nossa corrida. Se acreditarmos que a pista que percorremos possui somente “alguns metros” de distância, cuja chegada está bem ali, no final da nossa passageira existência, poderíamos, então, ter como certo, que o subterfúgio da trapaça seria a melhor opção para sermos os vencedores. Entretanto, a pista da nossa corrida é bem mais distante que qualquer maratona olímpica. Nosso tempo de existência é somente a largada de uma eternidade que nos aguarda, cujo final pode ser bom ou ruim. E quanto àqueles que trapacearam, serão pegos no maior de todos os exames: O exame de Deus da consciência do homem. Assim, os que começaram bem, terminarão mal. Os que pensavam serem os vencedores, serão, na realidade, os perdedores.

Os verdadeiros vencedores

Dissemos que a corrida é longa e que está repleta de obstáculos. Assim, as dicas de auto-ajuda para o sucesso e as receitas de vitória não têm valor algum diante das barreiras da vida. A tristeza, a solidão, a depressão ou a amargura que abate o ser humano não desaparecem somente com o fato de seguirmos as idéias dos palestrantes do sucesso, que no geral enfatizam o poder do homem com base no “você pode” ou “você faz”. Na corrida da vida precisamos de um apoio extra, de Alguém, que não nós mesmos, para nos auxiliar e ajudar-nos a “pular” os obstáculos dessa carreira. E a única pessoa capaz de fazer isso chama-se JESUS! Ele, além de nos ajudar a passar pelas dificuldades vividas, leva-nos ainda para a melhor fase da corrida: a eternidade.

Deus tem pleno controle sobre as nossas circunstâncias. Todas as situações em que nos envolvemos estão sob o controle de dEle. Ele é soberano!

Ademais, dicas de como se dar bem na vida Jesus tem várias, veja uma: “Vinde a Mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei” (Mat. 11:28).

O verdadeiro vencedor é aquele que, apesar das dificuldades, consegue, com a ajuda de Cristo, passar por todos os obstáculos, sem com isso renunciar a dignidade da pessoa humana. É aquele que, mesmo na adversidade, prossegue avante. Pois, com Cristo, nossa caminhada adquire novas proporções. Passamos a compreender que é pela forma de se caminhar que se torna um verdadeiro vencedor e não simplesmente chegar ao alvo.

Paulo expôs a diferença entre o atleta comum e um atleta cristão: “Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar um coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptível. Pois eu assim corro, não como a coisa incerta; assim combato, não batendo no ar” (I Cor. 9:24-26). Assim, o verdadeiro vencedor, não é aquele que obtém uma vitória passageira, antes eterna. Pois, assim como nos jogos olímpicos “Aos vencedores, o homem oferece medalhas. Deus, no entanto, entrega coroas!” E Ele está na chegada torcendo por você! Corra para Ele!

3 comentários em “Olimpiadas: Verdadeiros vencedores

Adicione o seu

  1. Ótimo artigo!

    A verdadeira vitória é aquela que realmente nunca terá fim, que nunca será superada em títulos ou marcas, e o mais importante: que eternamente poderá ser gozada pelo vencedor!

    “Ao que vencer lhe concederei que se assente comigo no meu trono; assim como eu venci, e me assentei com meu Pai no seu trono” Ap 3:21.

    Abraços!

    Na paz do Senhor,

    Anchieta Campos

  2. Que mensagem maravilhosa. Somos mais que vencedores porque temos Cristo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: