O MUNDO JAZ NA SARJETA


Por José San Martín

Logo que li a notícia no dia 7 de abril e vi a foto (AFP) das mil pessoas deitadas na calçada para protestar contra a violência no Rio lembrei-me do texto bíblico: “Sabemos que somos de Deus, e que o mundo inteiro jaz no maligno”, 1 João 5.19. Sem saber, essas pessoas ilustraram essa passagem bíblica em grande estilo. São interessantes as definições dadas pelo dicionário Houaiss à palavra jazer. É o mesmo que “estar enterrado”, “estar deitado”, “estar ou parecer morto”, “estar prostrado”, “estar situado em lugar baixo”. O Espírito Santo revelou a João a palavra perfeita para definir a condição da sociedade decadente de todos os tempos.

 

Infelizmente, o protesto com gente deitada no calçadão de Copacabana é mais uma iniciativa sem futuro, por mais criativa e altruísta. Seus organizadores são pessoas bem-intencionadas que certamente decidiram fazer alguma coisa para expressar sua indignação diante do caos se instalou no Estado. Centenas de campanhas, caminhadas, manifestações e protestos são promovidos. E a situação só piora. O que será que os bandidos pensaram ao ver o povo esparramado pelo chão? Como reagiram ao outro protesto, com centenas de cruzes fincadas na areia da praia? Será que riram? Ou estão discutindo uma trégua às suas atividades assassinas?

 

A triste realidade é que traficantes, ladrões e toda sorte de foras-da-lei estão pouco se lixando para caminhadas, passeatas e quaisquer manifestações por paz e segurança. O tráfico quer saber é do faturamento mensal de milhões às custas da miséria de muitas famílias. É fonte de dinheiro fácil para adolescentes e jovens e até pais de família situados entre o rico Leblon e as favelas onde a maioria sobrevive como pode, governados por alguém que defende a descriminalização das drogas.

 

Sem mudança de rumo nos corações das pessoas, nada e nunca vai mudar. As escolhas diárias da grande maioria – viver para agradar a si mesmos e não a Deus – vão contribuir para o agravamento da crise. Quantos vão deixar de cheirar ou injetar? Quem vai promover protesto contra a “fumação” ou “pitação”? A inércia até certo ponto involuntária de governos estaduais e federal presos à apatia de um Congresso que só se move quando os tribunais tomam alguma medida que vai contra interesses fisiológicos. Um exemplo é a ameaça da perda de mandato devido ao troca-troca de partido.

 

Pobre gente do Rio. Pobres brasileiros que apenas clamam por paz e segurança!

O compositor e cantor evangélico João Alexandre Silveira aponta o caminho para este país, na canção “Brasil, olha pra cima”. Quem dera se cidadãos, governantes e toda sorte de infratores da lei ouvissem essa mensagem e pudessem refletir sobre o destino eterno de suas vidas:

Como será o futuro do nosso país? Surge a pergunta no olhar e na alma do povo Cada vez mais cresce a fome nas ruas, nos morrosCada vez menos dinheiro pra sobreviverOnde andará a justiça outrora perdida?Some a resposta na voz e na vez de quem mandaHomens com tanto poder e nenhum coração Gente que compra e que vende a moral da naçãoBrasil, olha pra cimaExiste uma chance de ser, novamente, felizBrasil, há uma esperança!

Volta teus olhos pra Deus, o Justo Juiz!

 

José San Martín Caminã Neto é jornalista e radialista

Fonte: www.pesformosos.org

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s